Ngk

NGK celebra 63 anos de operação no Brasil

Multinacional japonesa é uma das principais fornecedoras
de componentes originais de sistema de ignição do país

 

São Paulo, julho de 2022 – A NGK, líder global no mercado de velas de ignição, completa 63 anos de operação nacional em 1º de agosto. A multinacional chegou ao Brasil em 1959 e instalou em Mogi das Cruzes (SP) a sua primeira fábrica fora do Japão. Atualmente, a companhia tem forte presença em todos os continentes.

Com 625 mil m², a planta localizada no bairro Cocuera é responsável por empregar mais de 1,3 mil profissionais que produzem componentes automotivos, como velas, cabos de ignição e terminais supressivos. A fábrica dispõe também de um dos seis centros tecnológicos da companhia no mundo.

Segundo Yuki Izuoka, presidente da NGK do Brasil, toda a trajetória da empresa é acompanhada pela inovação. “Celebramos 63 anos marcados pela produção de componentes de alta tecnologia, com garantia de aplicação, qualidade original e disponibilidade no mercado para atendimento integral de nossos clientes”, afirma.

Liderança no mercado automotivo

A NGK é uma das principais fornecedoras de componentes originais de sistema de ignição e líder no mercado nacional de reposição. Em 63 anos, a companhia atingiu a marca histórica de 2,5 bilhões de velas produzidas, além de superar 310 milhões de cabos de ignição. A empresa ainda comercializa bobinas de ignição e velas aquecedoras sob a marca NGK e sensores de oxigênio sob a marca NTK.

A história da companhia também é acompanhada pelo comprometimento com o meio ambiente, mediante a promoção de uma série de iniciativas alinhadas ao programa global Ecovision 2030, que estabelece metas de resposta às mudanças climáticas, expansão de produtos ambientalmente amigáveis, conservação de recursos hídricos e gerenciamento de resíduos.

Entre os projetos voltados à sustentabilidade das operações está o sistema de energia solar implementado em 2021 pela fábrica, que já detém o maior sistema fotovoltaico da região do Alto Tietê. Em média, a NGK gera 150 MWh/mês, o que rende uma economia de 7% no consumo. Para 2022, o plano é expandir o sistema fotovoltaico para ampliar a capacidade de geração em 36%.

A NGK também destaca entre as suas prioridades o gerenciamento de resíduos – tanto que a companhia já reprocessa 90% de seus resíduos e recicla 70% da água utilizada por meio de uma estação de tratamento de efluentes da própria fábrica com foco em reduzir os impactos ambientais na região.

Mais Notícias

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Para mais informações sobre quais tipos de cookies você pode encontrar nesse site, acesse “Definições de cookies”. Ao clicar em “Aceitar todos os cookies”, você aceita o uso dos cookies desse site
Definições de cookies